NASA: robô humanoide pode pousar na Lua em 1000 dias

Robô humanoide na Lua

Engenheiros do Centro Espacial Johnson, da NASA elaboraram um projeto para colocar um robô humanoide na Lua em 1000 dias.

O Projeto M – M é o algarismo romano para 1000 e a inicial de Lua em inglês (Moon) – ainda não tem aprovação oficial e nem há qualquer sinalização de que ele venha a ser executado em um futuro próximo.

Mas os engenheiros afirmam que já possuem virtualmente toda a tecnologia disponível e que será possível executar o Projeto M no prazo proposto, contando a partir da data de sua aprovação.

A base do projeto é o Robonauta, ou R2, cuja parte superior – ele ainda não tem pernas – será levado para a Estação Espacial Internacional a bordo do ônibus espacial Discovery, cujo lançamento está previsto para esta semana – veja Discovery levará robô astronauta para Estação Espacial

Robô astronauta

Sem a necessidade de todo o aparato de suporte de vida exigido pelos astronautas, o robô humanoide poderia viajar em uma espaçonave extremamente simples, contendo o suficiente apenas para levar o próprio robô, que viajaria em um compartimento ao lado dos tanques de combustível.

A exemplo da recente proposta de uma viagem sem retorno para Marte, também não há planos para trazer o robô astronauta de volta, o que simplifica ainda mais o projeto.

Após desembarcar, o robô será descarregado de forma automática e caminhará sobre a superfície da Lua, deixando na Lua seu rastro robótico histórico.

E a ideia toda gira em torno do próprio fato, do seu valor simbólico e da propaganda gerada pelo feito para o programa espacial – “[…] a parte intangível da NASA, que é a sua capacidade de inspirar e instigar o orgulho nacional,” afirma a proposta.

NASA: robô humanoide pode pousar na Lua em 1000 dias
Sem a necessidade de todo o aparato de suporte de vida exigido pelos astronautas, o robô humanoide poderia viajar em uma espaçonave extremamente simples.

Sociedade tecnológica em crise

“O objetivo da missão é a inspiração,” diz o documento que apresenta o Projeto M, destacando ainda a formação de uma equipe experiente na execução de projetos de exploração espacial e a demonstração de tecnologias para permitir a continuação da exploração humana além da órbita baixa da Terra, já “conquistada” pela Estação Espacial Internacional.

“Nós somos uma sociedade tecnológica que está ficando para trás na formação de engenheiros e cientistas. Nós sentimos que era nossa responsabilidade criar uma missão capaz de capturar as mentes e a imaginação dos jovens do país. A máquina nunca falha em impressionar os mais cínicos, em pôr um sorriso nos mais entediados, e instigar o maravilhamento em todos que interagem com ela. Um robô humanoide caminhando na Lua vai inspirar os alunos e demonstrar a nossa capacidade tecnológica.”

Há pouco mais de três meses, um grupo de empresas japonesas ligadas ao setor aeroespacial havia anunciado a intenção de enviar um robô humanoide para a Lua pelos mesmos motivos, em um gesto simbólico que atrairia muito a atenção do público – veja Japoneses querem enviar robô humanoide para a Lua

Ciência eventual

Os engenheiros da NASA afirmam que o robô humanoide poderia fazer mais do que deixar pegadas na Lua: ele poderia “andar sobre a superfície executando uma infinidade de tarefas, focadas em demonstrações de engenharia, como a manutenção e a construção; realizando ‘ciência eventual’ (isto é, utilizando os sensores existentes no robô ou pequenos instrumentos científicos) e experimentos simples idealizados por estudantes.”

Mas por que um robô humanoide, com todas as complicações do projeto, se a NASA já possui uma grande experiência com robôs sobre rodas, que seriam capazes de fazer ciência de verdade?

Segundo os idealizadores do Projeto M, a razão principal para isso é que um robô antropomórfico pode usar as mesmas ferramentas e trabalhar no espaço do mesmo modo que um ser humano, eliminando a necessidade de desenvolver ferramentas especializadas.

Uma mão robótica tem muito mais versatilidade do que qualquer outro instrumento, tornando o robô capaz de executar tarefas e manipular objetos que não foram previstos no projeto da missão.

NASA: robô humanoide pode pousar na Lua em 1000 dias
A NASA acredita que o gesto de um robô virar-se para a Terra e gesticular “Eu vejo vocês” poderá inspirar milhões de jovens a tornarem-se engenheiros e cientistas. [Imagem: NASA]

Treinamento do robô

Os engenheiros destacam que o fato de que o Robonauta está sendo desenvolvido para se tornar um operário aqui na Terra, o que significa que ele incorpora algumas tecnologias de segurança e características intrínsecas que o tornam seguro para trabalhar lado a lado com um ser humano, seja em uma fábrica, seja na Lua, ou em qualquer outra missão espacial futura.

Outra razão apontada pelos engenheiros é que um robô humanoide é mais fácil de ser treinado para executar qualquer tarefa. Por exemplo, um operador pode usar um conjunto de luvas mapeadas para equivaler às mãos do robô. O operador pode, então, executar a tarefa, enquanto o robô registra esses movimentos em sua memória.

A proposta está pronta. Agora resta esperar que a NASA avalie a proposta e decida ou não investir em sua execução. Se seus idealizadores estiverem certos, e o projeto puder mesmo ser executado em 1000 dias, há a possibilidade de que ele seja aprovado por um presidente em início de mandato, disposto a impressionar a opinião pública

Esse post foi publicado em inovações tecnológicas. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s