Putin tem ligações com Máfia Russa

Ministério Público espanhol contra a corrupção eo crime organizado, José Grinda, ligada à máfia russa com os serviços secretos dependentes do Kremlin. Ele fez isso em uma reunião fechada de especialistas americanos de origem hispânica, em 2008, em Madrid. Durante a reunião, fez comentários “criteriosas e valiosas” sobre estas bandas. Ele disse que a Espanha “é o braço executivo do governo dos EUA contra a máfia russa.”“Grinda disse que considerou a Bielorrússia, a Chechênia ea Rússia como” Estado mafioso virtual “, disse um cabo vazada do Departamento de Estado.

Grinda participaram da perseguição da Geórgia Zahkar Kalashov, Zakone vozr considerado (ladrão de Direito, o mais alto nível entre a liderança do criminoso redes russo). Preso na Espanha no verão de 2006, este imposto em 2009 foi acusado de ser um de um tipo “com a maior influência sobre a criminalidade gestado na ex-URSS e na Espanha para lavar” grandes somas de dinheiro. “ Mas você é livre para o Supremo, que atenda os seus recursos.

Grinda sugerem que existem duas razões para preocupação com a máfia russa. A primeira, porque tem um “enorme controle” sobre setores estratégicos da economia global, como o alumínio. Professor comentou sobre a suspeita de que a máfia russa tem investido na General Motors através da Canadian International Motors. A segunda preocupação é a pergunta sem resposta sobre até que ponto o primeiro-ministro Vladimir Putin está envolvido na máfia e se ele controla as atividades dessas organizações.

Ele citou a “tese” de Alexander Litvinenko, o espião russo foi envenenado em 2006 em Londres, a respeito da segurança e serviços secretos, o Serviço Federal de Segurança russo (FSB), o Serviço de Inteligência Externa (SVR) e de inteligência militar (GRU) – controlado por grupos criminosos.Ele expressou sua opinião de que esta tese é “correta”.O promotor acredita que o FSB é “absorver” a máfia russa, mas que o serviço secreto também pode eliminar essas bandas de duas formas: matando os chefes de grupos criminosos que não fazem o que querem os serviços de segurança ou a colocação atrás das grades para eliminá-los como concorrentes, mas também poderia ser preso por sua própria segurança.

“Sem testemunhas ou gravadores”

Grinda disse que de acordo com as informações recebidas dos serviços de inteligência – “sem testemunhas ou gravadores” – certos partidos políticos que operam na Rússia “mano a mano” com o crime organizado.Por exemplo, disse que o Partido Liberal Democrático (LDP) foi criado pelo falecido KGB (Comitê de Segurança do Estado) e seu sucessor (o SVR) e agora abriga atualmente grandes infratores. Ele ressaltou que existem ligações entre a Rússia comprovada partidos políticos e tráfico de armas.

Sem dar detalhes, ele aludiu ao estranho caso do navio Arctic Sea como um “claro exemplo” de tráfico de armas.O finlandês mercante Artic Sea, com um carregamento de madeira avaliados em 1,3 bilhões de euros, desapareceu em meados de 2009 no Canal Inglês em julho do ano passado e foi encontrado duas semanas depois, perto de Cabo Verde. [O governo russo negou na época essa informação].

O promotor contou que o tinha lido por 10 ou 12 valiosa pesquisa que sustentam a suspeita de que esses grupos criminosos se destinam a complementar as estruturas estatais, enquanto os terroristas pretendem substituir o núcleo do estado. Resumiu as suas opiniões, afirmando que a estratégia do governo russo é a utilização de grupos criminosos para fazer o que não é aceitável para tornar o governo. Neste ponto, mais uma vez mencionar Kalashov, que disse que trabalhava para o russo serviços de inteligência militar para a venda de armas para os curdos, a fim de desestabilizar a Turquia.

O governo russo tem relações com os líderes do crime organizado além de garantir os privilégios políticos, a fim de assegurar-lhes imunidade para seus crimes. Por exemplo, Gennadios Petrov, o suposto chefão preso na Operação Troika, foi envolvido em uma perigosa “relacionamento” com as autoridades russas. O procurador reclamou da falta de cooperação das autoridades russas na luta contra os grupos mafiosos e ilustrou-o numa frase: “A força do governo russo, ele sempre diz e faz a mesma coisa: nada.” Ele disse que a Espanha está a começar a cooperar com a França nessas questões, mas lamentou a falta de cooperação britânica.

Grinda salientou que os mafiosos costumam ter os melhores advogados do país, dizendo que, retoricamente: “Por Cuatrecasas constantemente defendendo os membros da máfia russa?”. [Cuatrecases é um dos escritórios de advocacia mais caros e prestigiados na Espanha].

60 suspeitos detidos

Outro relatório da Embaixada de notas que o Governo espanhol completou duas das maiores operações contra a máfia russa: Operação Troika (2008-2009) e Operação Avispa (2005-2007), culminando na detenção de 60 suspeitos , incluindo quatro dos mais importantes líderes dessas organizações fora da Rússia: Gennadios Petrov, Alexander Malyshev, Izguiloz Vitaly e Kalashov Zahkar. “España sostiene que hay más capos encarcelados en este país que en cualquier otro fuera de Rusia”. “A Espanha defende que há mais capos de prisão neste país do que em qualquer outro lugar fora da Rússia.” “Moscou está interessado em saber exatamente o que prova que a Espanha [os patrões], por isso enviou pesquisadores para se reunir com a polícia espanhola, pelo menos, 12 vezes desde que a Operação Troika ocorreu.”

O documento faz referência aos esforços diplomáticos para subornar os criminosos à justiça e como, no caso dos envolvidos na Operação Avispa houve “uma campanha sistemática para manipular o sistema judicial espanhol para tentar inocentar Kalashov”.Em outra ocasião, outros alvos do ataque, como o advogado e do ucraniano Oleg Kalashov Voronstov, assessor eleitoral do ex-presidente russo Boris Yeltsin, conspiraram para tentar influenciar os juízes e policiais envolvidos no caso por meio da troca de presentes e favores.

Entre os documentos conhecidos agora há um outro no qual ela pega outra conversa no ano passado entre os diplomatas dos EUA e Fernando Bermejo, fiscal Drogas e Crime Organizado, em Barcelona. Isso, de acordo com este fio, ressaltou que a Catalunha é uma base importante de uma ampla rede de lavagem de dinheiro da máfia russa e que muitos membros desses clãs são criminosos operam na região. Ele lembrou que liderou a investigação contra Eduardo Planells, o ex-governo da Catalunha Sub acusado de ajudar a envolvidos na Operação Avispa

Esse post foi publicado em anticristo, apocalipse, Apostasia, barack obama, chip, Diversidade, gripe suina, haarp, marca da besta, Menssagem subliminar, nova ordem mundial, Ocultismo, ONU. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s